Quinta-feira, 30 de Abril de 2009

Capítulos 28 e 29 - Crime ou acto de amor?

Heyy! Há tanto tempo -.- Pedimos imensas desculpas! A sério. Num dos fins-de-semana fomos numa visita de estudo de Biology à Serra da Estrela e no outro tínhamos taanto para estudar que nem tivemos tempo para respirar.

 

Desculpem.

 

Felizmente acabou e agora vem um fim-de-semana prolongado para recuperar e estamos de volta.

 

Com dois capítulos, como não poderia deixar de ser.

 

Dedicado a todas :)

 

Big Kiss

 


 

 
- Bill… - sussurou ela enquanto fazia deslizar os seus dedos pela pele dele. Um toque electrizante.
- Diz.
- Eu, quando estou contigo, sabes, quando atingimos o nosso máximo, eu… oiço uma música.
- Também consegues ouvir?
- Tu também? – perguntou admirada. Pensara que era fruto da sua imaginação.
- Sim – confirmou ele.
Ela esboçou um grande sorriso como nunca tinha feito.
- A música, gostava de saber cantá-la, mas não sei – continuou ele - Apesar de a conhecer, eu conheço-a, mas é tão…
- Eu sei! Eu também a conheço. Mesmo assim não consigo aproximar-me dela.
 
Entardecia. O Sol, que já estivera lá no pico, descia. Não sabiam ao certo quanto tempo passara. O tempo não passou por eles. Pela praia talvez. Por eles não.
O vento entrava por entre os cabelos e revolvia-os. Os sons que se faziam ouvir eram puros. Eram a Natureza. O mar falava e eles ouviam. Encostados um ao outro. Sempre. A cabeça de Natalie no peito de Bill.
 
- Natalie, o que é isto?
- Queres mesmo a resposta a essa pergunta?
- Acho que não…
 
Tentar definir aquilo era como explicar o inexplicável, tocar o intocável, quebrar o inquebrável. Era impossível por ser tão irreal.
 
Bill sentiu-a arrepiar-se de frio. Estava ainda em lingerie tal como ele em boxers.
 
- Vamos vestir-nos. Estás com frio.
- Não, tive uma ideia melhor.
- Nem sei se quero ouvir.
- Vamos dar um mergulho.
- Mas tu tens frio e queres dar um mergulho?
- Exacto – respondeu ela divertida.
 
Esta era, possivelmente, uma das razões porque gostava dela. Nunca sabia o que esperar. E se criasse expectativas numa qualquer situação, ouvia o oposto da boca dela. Isso desafiava-o.
 
- Mas está frio.
- Ai, que mariquinhas.
- Posso ficar a ver-te?
- Está bem, se assim queres.
Ela levantou-se. Ele sentiu falta do peso dela do seu lado. Agora estava de pé virada para ele, como que a fazer sombra, fazendo expressões cómicas direccionadas para ele, entre as quais uma espécie de “beicinho” de bebé amoroso, às quais ele dificilmente resistiu. Deduziu que fossem uma última tentativa para o convencer a mergulhar naquela água gélida. Ele soltou uma sonora gargalhada e abanou a cabeça em sinal negativo. Ela desistiu e, virando-lhe as costas, começou a provocá-lo.
 
(“Soutien rosa e cuecas encarnadas. Onde é que eu já vi isto? Já sei. Nunca vi. Só podia ser ela”)
 
Enquanto ele tecia pensamentos sobre a lingerie, ela, sempre virada de costas, desfilava como que numa passerelle, pavoneava-se e abanava o rabo com uma forma de andar característica. Ele ria. Riam ambos.
 
Depois ela virou-se para atrás para lhe lançar mais uma provocação. Aquilo era um autêntico jogo. Olhar sexy e nariz empinado. Combinação explosiva. Ele levantou-se. Dirigiu-se em passo lento mas decidido para ela. Ela tornou a encarar o mar e para lá correu, prolongando a brincadeira. Bill parou, observou-a durante uns segundos até ela mergulhar, riu-se, fotografou mentalmente aquele momento. O seu mergulho. Depois fechou os olhos para saborear o vento.
 
 

 
 
 
Voltou a abrir os olhos. Olhou em frente e não viu sinais de Natalie. Estranhou. Estaria escondida? Ou ainda debaixo de água? Decidiu ir verificar.
 
Encaminhou-se em direcção à beira-mar. Começava a preocupar-se seriamente. Deixou a ondulação que alcançava a areia molhar os seus pés. E depois, observando melhor, reparou num corpo inerte que boiava não muito longe. (“Natalie!”) Correu o mais que pode, lutando contra a força do mar. Ela estava virada para baixo. Nadou, o que lhe pareceu muito tempo, e finalmente alcançou-a. Imediatamente a virou, ela estava muito aflita e atrapalhada mas ainda estava consciente. Tossiu e cuspiu água. Ele tratou de a levar o mais rápido que conseguiu para a berma.
 
Deitou-a na areia molhada. Ela parecia não conseguir mexer-se.
 
- Natalie! Natalie, fala comigo, por favor, fala comigo!
- Bill, eu não… eu não sinto o corpo – gritou num murmúrio desesperado – Bill, ajuda-me, eu não quero, ajuda-me, eu não sinto o corpo, eu não me consigo mexer… - a voz falhava e aos poucos era quase inaudível. As forças que o seu corpo tinha perdido também faltavam agora na sua cabeça. Bill sentiu-a cair pesada nos seus braços. Mal teve tempo para raciocinar. Deixou-a deitada na areia, correu o mais que pode até às suas roupas, procurou as calças, remexeu nos bolsos, encontrou o telemóvel e enquanto voltava para junto dela ligava para o número de emergência para chamar uma ambulância.
 
Enquanto o transporte não chegava, ele falava-lhe, tentava não se descontrolar. Agarrava-a. Ela continuava inanimada.
 
- Natalie, não me deixes! Não podes. Isto não acaba agora. Isto não acaba nunca. Natalie! Por favor. Fica comigo.
 
Ela não o ouvia, ele sabia. Mas precisava de ter essa segurança, tinha de dizer-lhe aquilo, encorajá-la mesmo que ela não soubesse. Nunca tivera tanto medo na vida. Medo de a perder, de nunca mais voltar a tocar-lhe, de partilhar os momentos únicos e de dizer-lhe que a amava, embora não fosse necessário. Sobretudo de a perder.

 

sinto-me: today --
música: 1 2 3 4 - Plain White T's

publicado por ourfanfiction às 23:22
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De ourfanfiction a 2 de Maio de 2009 às 23:00
Mein gott sofia..o que se está a passar?! Nao vai acontecer nada pois nada? Por favor, diz me que nao vai! Se acontecer alguma coisa, eu mato-te na segunda-feira! Sofia estou mesmo a stressar...quero saber! POr favor nao faças nada!
Adorei estes dois capitulos...foram reveladores..lol! A serio que foram..entao no segundo a tua escrita! OMG...acho que conseguiste mostrar a situação de pânico naquela altura, a mmim tambem me deixou a tremer e quase a chorar! Eles sao perfeitos sofia, nao os podes separar..eles têm uma musica e tudo, que apesar de nao saber qual é, é o símbolo do amor deles!
Eu continuo a perguntar..Nao vai acontecer nada para que eles se separem pois nao? Estou com um persentimento de que vai
Bem mal posso espear por mais..EU EXIGO MAIS DOIS CAPÍTULOS! PLEASE! I NEEEEED MOOOORE!

LOVE YOU BITCH!


De Melancia a 10 de Maio de 2009 às 14:36
Oh meu deus! Os capitulos estão LINDOS! AMEI!
A forma como realçaste o amor vivido está simplesmente unico! AMEI MESMO! Depositaste tanto sentimento nos mesmo! E agora que as coisas se vao complicar conseguiste manter, ou mesmo esclarecer o sentimento que os une! Amei a cena em ela quer dar o mergulho e ele nao! Penso que está comico e sobretudo cumplice! A tua fic é linda piki!

küss


Comentar post

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


.posts recentes

. ...

. Chapter 11- Is it destiny...

. Chapter 10- Times like th...

. Capítulo 36 - Crime ou ac...

. Capítulos 34 e 35 - Crime...

. Chapter 9- Times like thi...

. Chapter 8-Times like this...

. Chapter 7- Times like thi...

. We´re back! [EDITADO]

. Capítulos 32 e 33 - Crime...

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

.tags

. crime ou acto de amor(22)

. is it destiny?(11)

. times like this(9)

. back(1)

. fanfiction(1)

. hallo(1)

. i´m sorry(1)

. info e georg(1)

. informação(1)

. last kiss(1)

. layout(1)

. the man who can't be moved(1)

. todas as tags

.links

.Fans online

online

.pesquisar

 

.Visitas

Hospedagem
Hospedagem
blogs SAPO

.subscrever feeds